Diagnóstico pela Língua, segundo a Medicina Tradicional Chinesa

A Medicina Tradicional Chinesa - MTC - busca compreender o indivíduo a partir da observação, do comportamento, odor, umidade

no corpo, respiração, pulso, língua e outras características que são consideradas para um efetivo diagnóstico. Ao observar a língua deve-se perceber sua luminosidade e se há reflexos coloridos que podem alterar a sua coloração.

Alimentos como café e chocolate altearam esta observação. Uma língua normal deve ser vermelha-clara, brilhosa, úmida, não pequena nem envelhecida e com movimentos ágeis. A saburra deverá ser pouco espessa e de cor clara.

Observações para o diagnóstico

Cor da língua - Variando de pálida a azul-arroxeada, a cor língua indica os níveis de Yin e Yang, desde a falta, normalidade, até o excesso. E também as condições do Xue, seja deficiência, estagnação ou excesso. A presença de Qi-nutritivo é mostrada pela cor.

Forma e umidade da língua - Pode ser rígida, flexível ou tremida, opaca ou brilhosa com umidade, atrofiada ou inchada, fissurada, com manchas, etc. Estas características indicarão o grau de umidade no corpo, abundância ou não de Xue e o estado dos fluídos corpóreos - Jin Ye.

Mobilidade língual - A língua rígida indica estagnação dos canais energéticos e patologias associadas a esta estagnação, como dificuldade para pronunciar palavras. Quando mole e atrofiada, associa-se a deficiências, podendo ser de tanto de Qi , como de Xue, ou ainda de ambos.

A saburra poderá apresentar tons que variam de brancos, amarelados, cinzas, até o negro. Indicará normalidade, doenças sem maior gravidade, síndromes de excesso, seja de calor ou de frio. Juntamente com a cor, a umidade e a espessura da saburra são consideradas, pois quanto mais seca, há mais calor e consequente evaporação dos líquidos corpóreos. A língua úmida e espessa remete a diagnósticos associados à mucosidade e estagnação de fluídos orgânicos.

Além de classificar cor, umidade, mobilidade e saburra, a MTC também associa regiões da língua aos diversos meridianos energéticos do corpo. A raiz da língua é associada aos meridianos do Rim, Intestinos Grosso e Delgado e Bexiga. A região central, dorso da língua, remete aos meridianos do Baço-pâncreas e Estômago. O meridiano do Fígado é associado às laterais. Na região mais apical, faz-se o diagnóstico sobre os canais de energia do Coração e do Pericárdio. A energia do Pulmão é observada no dorso da língua, mais próximo ao ápice.

É importante considerar, que o disgnóstico pela língua não é uma análise isolada, mas sim, um importante e poderoso fator a ser observado, diante dos muitos recursos oferecidos pela MTC ao terapeuta.

Fontes

1 – Maciocia, G. Os Fundamentos da Medicina Chinesa: Um texto abrangente para acupunturistas e fitoterapeutas. 1ª ed. São Paulo: Roca Ltda., 1996.

2 – Pin Son, T. Atlas de Semiologia da Língua. 1ª ed. São Paulo: Roca Ltda., 1994.

3 – Gilroy Anne M., MacPherson Brian R., Ross Lawrence M. Atlas de Anatomia. Editora Guanabara Koogan S.A., 2008.