Notícias

O Festival do Rio foi criado em 1999 com a fusão dos eventos Mostra Banco Nacional e Rio Cine Festival que, faziam parte da agenda cultural desde 1980. O evento é realizado pelo Cinema do Rio e pelo CIMA - Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente. O Festival do Rio é considerado um dos mais importantes festivais de cinema do Brasil e do mundo e destino obrigatório para os principais destaques cinematográficos do ano.

 

Já passaram pelo Festival os maiores diretores da história do cinema mundial, tais como Roman Polanski, Costa-Gavras, Tom Tykwer, Dario Argento, Leos Carax, Im Sang-soo, João Pedro Rodrigues, Masahiro Kobayashi, Louis Malle, Carlos Saura, John Waters, Peter Greenaway, Stephen Frears, François Ozon, Todd Solondz e os irmãos Paolo e Vittorio Taviani. Uma constelação de estrelas como Jeanne Moureau, Samuel L. Jackson, Marisa Paredes, Jeremy Irons, Forest Whitaker, Kylie Minogue, Willem Dafoe, Charlotte Rampling, Ricardo Darín, Danny Glover, Harvey Keitel, Helen Mirren, Isabelle Huppert, Jane Birkin e outros.

 

Este ano, a cidade recebe a 15ª edição do Festival do Rio de cinema, com mais de 350 filmes de 60 países em exibição em mais de trinta salas de cinema na cidade. Ilda Santiago divide a direção executiva do Festival com Walkíria Barbosa e além da exibição de filmes, a produção é também responsável pela realização da Première Brasil e o RioMarket, maior mercado do audiovisual da América Latina. Produtores internacionais acreditam que o festival é ótimo palco para a exibição de seus filmes, pela visibilidade que o festival tem no mundo. O evento apresentará inclusive, filmes que acabaram de passar pelos festivais de Veneza, de Toronto, Cannes e Berlim.

 

O festival terá também uma série de atividades desenvolvidas em diversos locais da cidade, o que proporcionará ao público a chance de debater com produtores, diretores e atores. Novos espaços como o Cine Carioca Nova Brasília, no Complexo do Alemão, o Armazém da Utopia, na Zona Portuária, Cines São Luiz, Odeon e outros cinemas do grupo Estação.

 

Além do Complexo do Alemão, outras Arenas Culturais serão abertas em Madureira, Pedra de Guaratiba e Penha. Naves e Praças do Conhecimento de Padre Miguel, Vila Aliança, Madureira, Irajá, Penha e Santa Cruz também terão atividades programadas durante os 15 dias de Festival. Segundo a direção executiva, o objetivo é fazer com que o festival possa dar a chance de se discutir o cinema e o mundo em que vivemos.

 

Faça o download da programação:

http://revista.festivaldorio.com.br/pdf/revista_programacao_festivaldorio_2013.pdf




Quem caminha pela Gamboa e Praça Mauá, se depara com um imenso painel de cores vibrantes, na rua Sacadura Cabral, na lateral da empresa B2W, que atrai a atenção de turistas e cariocas que passam pelas ruas cinzentas da região.

Quem caminha pela Gamboa e Praça Mauá se depara com um imenso painel de cores vibrantes na rua Sacadura Cabral na lateral da empresa B2W, que atrai a atenção de turistas e cariocas que passam pelas ruas cinzentas da região.

Foto: Washington Alves / arquivo MEC

O Programa do Governo Federal “Escola da Terra” tem como objetivo promover a melhoria das condições de acesso, permanência e aprendizagem dos estudantes, fortalecendo a escola como espaço de vivência social e cultural.

Todos os educadores do país que atuam com turmas multisseriadas do ensino fundamental e em escolas de comunidades quilombolas, participarão do curso de aperfeiçoamento com carga horária mínima de 180 horas. A qualificação dos docentes será de responsabilidade das instituições públicas de educação superior que aderirem ao projeto. A formação compreende um período de frequência no curso, denominado tempo-universidade e outro para as atividades realizadas em serviço (escola-comunidade), com o acompanhamento de tutores.

 

A Prefeitura de Macaé aderiu ao programa e as atividades do programa serão traçadas para atender às unidades no próximo ano letivo. O projeto será desenvolvido nas unidades municipais de Duas Barras B (Glicério), Crubixais de Cima (Frade), Boa Alegria (Sana), Zélia Souza Aguiar (Areia Branca), Carlos Gaspar (Sana), Maria Augusta Aguiar Franco (Bicuda Pequena) e Morete (Frade).

A produção e a oferta do material didático e pedagógico tais como, jogos, mapas, recursos para alfabetização, letramento e matemática ficarão por conta do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os recursos para a formação dos professores provirão do MEC, mas a execução das atividades caberá a estados, Distrito Federal, municípios e instituições públicas de educação superior.

A Escola da Terra compreende quatro ações:

Formação continuada e acompanhada de professores que trabalham com estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental em escolas multisseriadas no campo e em escolas quilombolas, além dos assessores pedagógicos, que terão a função de tutores;

Oferta de material didático e pedagógico;

Monitoramento e avaliação;

Gestão, controle e mobilização social.

Segundo o Secadi há cerca de 50 mil escolas multisseriadas e quilombolas distribuídas em todo o território nacional. A Escola da Terra é uma das ações do Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo) do MEC, criada pela Portaria nº 579, de 3 de julho de 2013, do Ministério da Educação.

 

Fontes: MEC

 

http://simec.mec.gov.br/

 

Página 2 de 3