Nude Food ou Comida nua - Será a solução?

Uma rede de supermercados na Nova Zelândia criou o projeto "Nude Food ou Comida Nua"

que aboliu o uso de embalagens plásticas para frutas e legumes com o objetivo de impressionar seus clientes, dando-lhes a experiência de recordar as sensações aprendidas na infância, de quando se podia sentir o cheiro das frutas cítricas frescas e dos vegetais.

A iniciativa está entre as ações da Declaração de Embalagens Plásticas da Nova Zelândia, proposta pelo Ministério do Meio Ambiente e assinada por empresas nacionais e internacionais presentes no país, em junho de 2018. Pequenos produtores e indústrias de alimentos multinacionais (como Unilever, Nestlé e Coca Cola) se comprometeram a usar embalagens 100% recicláveis, reutilizáveis ou biodegradáveis até 2025.

Outras iniciativas estão sendo desenvolvidas para criação de embalagens ecológicas para evitar que 300 milhões de toneladas de plástico sejam descartadas em aterros sanitários no mundo inteiro e no Brasil, a revista digital Green.Me promove a campanha de redes sociais #DesnudeaFruta de consumo consciente e sustentável.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolve e promove estudos desde 2014 na busca de alternativas viáveis para diminuir o impacto ambiental provocado pelo plástico sintético.

O Rio de Janeiro foi a primeira cidade do Brasil a banir canudos em restaurantes, quiosques e bares. Em outubro de 2018, a União Europeia aprovou lei para banir os acessórios até 2021.

As pressões para redução dos resíduos plásticos, destacada pelas Nações Unidas como o maior desafio ambiental do século 21, estão tentando alcançar mercados, marcas, consumidores e governos. O secretário-geral da ONU, António Guterres, fêz a seguinte declaração: “As partículas de microplástico presentes no oceano hoje superam as estrelas da galáxia. Se as tendências continuarem, os oceanos terão mais plástico do que peixes até 2050.


Fonte

https://tinyurl.com/y5adcxsd